Notícias


Publicado em:
22
11/2017

Confira as principais diferenças entre a horta convencional e a orgânica

A busca por uma alimentação mais saudável tem levado muitas pessoas a querer aprender a montar e cultivar uma horta em casa ou no apartamento.



Metatags:

Ter um alimento fresco à mão e poder consumi-lo a hora que quiser é uma das vantagens de se ter uma horta em casa.

São vários tipos, entre elas estão: a convencional, a orgânica e as comunitárias, esta última refere-se a um grupo de vizinhos que trabalha junto em um terreno ou num espaço público, e as grandes hortas cultivadas para comercialização.
O portal Le Manjue levantou as diferenças entre a horta orgânica e a horta convencional. Seja qual for a escolha, conheça quais são elas em relação ao preparo do solo, adubação, controle de pragas e doenças, entre outros fatores.

Preparo do solo para o plantio: para o preparo de uma horta convencional, o solo é bastante revolvido, pois ele é somente o suporte em que a planta vai se desenvolver. Já para a produção de uma horta orgânica, a terra é levemente revolvida. Todos os elementos presentes no solo são muito importantes para o crescimento de plantas saudáveis.

Adubação: na convencional são usados adubos químicos. Esse tipo de adubação é absorvido mais rapidamente pela planta fazendo com que ela se desenvolva mais e em menos tempo. No entanto, com o passar do tempo, essa prática causa danos ao solo. Na adubação orgânica são utilizados elementos vivos, materiais obtidos da própria natureza, como: esterco de galinha e de gado orgânico, casca de ovo orgânico, adubo verde orgânico feito com leguminosas e outras plantas, composto orgânico preparado com cascas de frutas e verduras orgânicas. O processo de desenvolvimento é mais lento, mas o orgânico permite a planta crescer naturalmente, além de melhorar a qualidade do solo e a plantação se tornar mais resistente.

Controle de pragas e doenças: no cultivo tradicional, o controle de pragas é feito com produtos químicos. Os agrotóxicos, se usados indiscriminadamente, prejudicam o terreno do plantio, assim como, a saúde do consumidor.
Em plantações orgânicas, são utilizados produtos naturais para o controle de pragas e também é feito um controle biológico, onde são utilizados predadores naturais das pragas como joaninhas, por exemplo, que comem as lagartas e outros insetos que destroem as hortaliças.

Controle de mato: as plantas daninhas ou mato se espalham com muita facilidade pelas hortaliças dificultando o cultivo. Em uma horta convencional, esse controle não é bom. A maneira como o mato é retirado faz com que as sementes se espalhem por áreas cada vez maiores. Já no cultivo orgânico, o solo é arado antes da plantação fazendo com que o mato cresça rapidamente e possa ser totalmente retirado antes do tratamento da terra.

Impacto ambiental: o uso excessivo de produtos químicos no plantio convencional prejudica o solo, tornando-o improdutivo com o passar dos anos. Além do solo, a água também sofre com os agrotóxicos, sendo imprópria para o consumo. Na agricultura orgânica isso não ocorre, já que são usados produtos naturais e adequados. O solo continua fértil e com melhor qualidade e a água não sofre nenhum dano.

Fonte: Primeira Página, com Le Manjue


Últimas notícias

UBRAFE apresenta diretoria para o biênio 2018-2020

Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras, foi reeleito como 1º vice-presidente da entidade.
Leia Mais

Você sabe qual é a planta típica do Natal?

O Bico de Papagaio costuma compor a decoração natalina, imprimindo charme e beleza aos ambientes.
Leia Mais

Saiba como enriquecer o paisagismo com o buxinho

O arbusto está ganhando cada vez mais espaço na decoração. Existem várias formas de compô-lo nos ambientes externos e até internos.
Leia Mais