Newsletter Facebook

Publicado em:
30
10/2017

Pinheiro de Natal natural: como escolher?

Uma das grandes vantagens é adotar a planta na decoração da casa no ano inteiro.

A árvore de Natal é um dos principais símbolos da data religiosa. Reunir toda a família em torno dela para enfeitá-la costuma ser um dos muitos momentos especiais proporcionas pelas festas de fim de ano. Para aqueles que preferem um pinheiro natural ao artificial, a escolha pode se tornar um pouco difícil com tanta oferta disponível no mercado.

Para ajudar nessa empreitada, confira as dicas de como escolher a espécie ideal e alguns cuidados de conservação.
1. Existem numerosas espécies de pinheiros. Se a ideia principal é obter uma árvore para compor a decoração de Natal, há três tipos ideais para a montagem: Tuais, Kaizucas e os Cipresetes.

2. As Tuias apresentam muitas variações e podem ser usadas também como cerca-viva ou em projetos de paisagismo após as festas de fim de ano. A tuia holandesa (Cupressus macrocarpa), originária da Inglaterra, apresenta folhas verde claro, exala suave odor cítrico e pode atingir 12 m de altura e 3 m de diâmetro. Costuma durar até quatro semanas em interiores e necessita de regas diárias.

3. A Tuia Strickta (Juniperus chinensis) é do sudeste asiático. Trata-se de uma das espécies mais resistentes, podendo durar até cinco semanas quando mantidas em ambientes internos. Pode atingir 6 m de altura e 2,5 m de diâmetro e uma de suas vantagens é que pode ser transplantada em vasos maiores ou jardins a pleno sol, com regas diárias.

4. Tuia Occidentalis (Thuja occidentalis) é de origem da América do Norte, atinge de 12 a 20 m de altura e 5 m de diâmetro, dependendo da variedade quando plantada em jardins. Necessita ficar sempre à meia-sombra em locais mais quentes.

5. Os pinheiros podem ser mantidos em vasos dentro de casas ou apartamentos. Para isso, devem estar em locais bem ventilados e iluminados, já que precisam de luz solar direta por pelo menos duas horas por dia. Após o Natal, os pinheiros para ambientes internos precisam ser transplantados para resistirem e regados diariamente.

6. Galhos secos na base do pinheiro são um mau sinal. Por isso, na hora da compra é muito importante observar a aparência: quanto mais saudável e bonita, maior será a sua duração.

7. A árvore original tem a sua ponteira bem definida e simétrica.

No caso de exemplares que não vêm em vasos, é imprescindível verificar as raízes, também conhecidas como torrão, que devem ser proporcionais à altura do pinheiro. Num pinheiro com um metro de altura, o torrão deve ter cerca de 50 centímetros de diâmetro, por exemplo

8. Adubar também faz parte da conservação. A quantidade de adubo vai depender tanto do porte do vaso quanto da espécie do pinheiro.

9. A rega deve ser periódica. A recomendação é fazê-la três vezes por semana, porém, pode variar conforme a umidade e temperatura do local.

10. Na hora de decorar o pinheiro, é importante lembrar-se de usar enfeites leves para não prejudicar a árvore. Além disso, para evitar o calor em excesso, que é prejudicial para a planta, o ideal é utilizar o pisca-pisca de LED.

11. Após as comemorações, os enfeites devem ser retirados da árvore e para fazer isso a tradição natalina tem data certa: no Dia de Reis, comemorado em 6 de janeiro. Depois disso, o pinheiro pode ser transplantado.

Fonte: PP, com informações dos portais Mundo Husqvarna e Delas/IG